A Maravilha subterrânea!

Viajando pela AirPhilexpress, cheguei na ilha de Palawan, na cidade de Puerto Princesa.

O hotel (ou seria uma pousada?) em que me acomodei não era longe e, logo após deixar minhas coisas, saí para a primeira olhada na região.

Para chegar ao rio subterrâneo de Puerto Princesa, eu deveria percorrer aproximadamente oitenta quilômetros ao norte da cidade de mesmo nome até alcançar o vilarejo de Sabang. De lá, pegar um barco até a praia onde a maravilha da vez desaguava. Tudo isso, se eu conseguisse a permissão de visita, pois, de acordo com o pessoal da recepção do hotel, as pessoas só estavam conseguindo esse documento para dali a seis dias. Fiquei realmente preocupado e parecia não acreditar que, após passar por todo o problema com a bagagem em Manila, eu teria mais esse obstáculo. Rapidamente desisti de me juntar a um dos grupos para tentar a permissão de visita ao parque e parti para o plano solo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na cidade, encontrei um escritório de informação turística. Mar, funcionário que ali estava, foi muito atencioso. Expliquei todo meu problema, disse que estava sozinho e que também estava lá para fazer uma reportagem sobre o rio. A resposta e as informações foram precisas e diretas. Eu deveria ir até o escritório que cuidava das permissões de visita ao rio e conversar com Brian para explicar minha situação e pegar minha autorização. Para ir ao rio no dia seguinte, Mar me informou que eu poderia optar por pegar um ônibus local ou ir por conta, com um carro alugado, carona ou moto. Fiquei com a última opção!

Permissão na mão e moto alugada, tracei o itinerário do dia seguinte e comi um belo lanche na cidade. Passeei mais um pouco e voltei ao hotel, empolgado com as expectativas do dia seguinte, porém bem cansado. Fui dormir cedo para conseguir acordar bem no dia seguinte.

O dia parecia perfeito, ensolarado e bonito. Após um café modesto, saí, não tão cedo como deveria, com minha motoca, rumo a Sabang. Fiz algumas paradas para fotos, filmagens e também para alguns goles de água para me refrescar, afinal o calor era intenso. Após aproximadamente duas horas, cheguei ao porto de Sabang, onde estacionei minha moto e, quando pegava as informações sobre o barco, um guia, que liderava um grupo de turistas, se aproximou perguntando se eu gostaria de dividir um barco com eles. Sim, claro, afinal ficou bem mais barato para mim. E lá fomos nós, balançando muito, naquela embarcação interessante, que contava com apoios laterais de madeira justamente por conta da força do mar na região.

Desembarcamos com água pela canela na praia de Sabang e só aquele visual já valia todo o esforço. Areia branquinha, muita vegetação, rochedos e um mar azul como poucos que já vi. Uma pequena caminhada de aproximadamente um quilômetro por uma trilha cheia de macaquinhos e finalmente alcançamos o Rio Puerto Princesa. Uma curta península se formava onde o mar se juntava com o rio, que, caverna adentro, sumia na escuridão. São aproximadamente oito quilômetros de rio dentro da montanha e, após me equipar devidamente com capacete e colete, embarquei com um grupo para curtir a navegação.

Com um holofote ligado a uma bateria de carro, eu ia ao lado de um garotinho, direcionando a luz no interior da caverna, enquanto o barqueiro, sentado à popa, me instruía para onde apontar, mostrando os paredões e explicando sobre as formações.

Quarenta minutos depois, voltamos à praia e eu estava satisfeito. Parecia que esse, sim, era o primeiro dia de viagem nas Filipinas e ainda pude aproveitar um pouco o local.

A viagem de volta foi gostosa e divertida, com muita interação com as pessoas na estrada. Dentre as paradas, a mais divertida foi uma para reabastecer o tanque da moto em uma vendinha que comercializava combustível em garrafas pet. Brinquei bastante com as crianças que ali estavam e coloquei uma das câmeras na cabeça de um dos meninos. Risadaria total! Sorrisos sinceros de pessoas pra lá de simples!

Das Filipinas, segui para o Vietnam, mas antes tive uma parada inesperada por Cingapura, porém isso é assunto para o próximo  post!

Até lá!

Anúncios

~ por Daniel Thompson, o Mochileiro das Maravilhas em 25 abril 2012.

2 Respostas to “A Maravilha subterrânea!”

  1. Ola!
    Adorei seu post sobre as Philippines,cheguei de la tem 20 dias.
    E nao vejo muita informacao a respeito de la,fiquei feliz ao ler seu post.
    Eu estou engatinhando com meu blog,e escolhi comecar pelas Philippines,e gostaria da sua opiniao claro se voce me der a honra de um pouco de seu tempo.
    Moro no Japan,porem trabalho em outros Paises, e vou tentar mostrar um pouquinho do vi por ai.
    Arigato!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s